Este tópico não diz respeito à caridade, mas será impossível não traçar uma correlação com esta atividade. E farei isso para provar que fazer o bem contribui muito mais para quem o faz, do que necessariamente para quem o recebe.

O psicólogo David McClelland, da Universidade Harvard, fez uma interessante pesquisa. Ele assistiu, com diversos de seus alunos, a um longo filme de madre Teresa de Calcutá, mostrando seu trabalho com os pobres e doentes em diversas cidades indianas. Os estudantes ficaram profundamente impressionados, e isso ficou provado não só por seus comentários durante a exibição mas também pelas suas expressões físicas (linguagem não-verbal).

Ao término da apresentação, os alunos fizeram um exame de sangue, a fim de avaliar se haveriam reações no sistema imunológico de cada um. A globulina de imunidade A (IgA), um anticorpo responsável pela destruição de infecções nas vias respiratórias, tinha aumentado significativamente.

Além disso, outras defesas do corpo relacionadas aos glóbulos brancos haviam-se multiplicado.

O experimento foi repetido por diversas vezes e chegou-se à conclusão científica que assistir ou mesmo participar de atos de caridade aumenta a resistência física das pessoas.

Este fenômeno foi chamado de “Efeito Madre Teresa”.

Estava comprovado. O que acontece em nossas cabeças está diretamente relacionado com nosso físico. Momentos de estresse, preocupações e inquietações constantes repercutem diretamente na quantidade de células brancas, diminuindo nossa resistência em pouco tempo.

A medicina vem comprovando que os pacientes com câncer que lutam pela vida, são os que tem mais chances de vencer a doença, pois desenvolvem constantemente a resistência por meio de células brancas. Já aqueles que se abatem, se resignam ou ficam depressivos, contribuem para que a resistência caia ainda mais e acelere os efeitos da doença.

Nos treinamentos que ministro, costumo passar um trecho de um filme bem interessante: Apollo 13. Ele foi gravado tentando repetir ao máximo dos detalhes o acontecimento real com os três astronautas que tentaram chegar à Lua, mas devido a uma explosão, tiveram que mudar o objetivo da missão: voltar à Terra com vida.

Os acontecimentos deixaram os astronautas muito estressados e, com a redução da imunidade, dois deles ficaram gripados.

Desta forma, criar um clima favorável de trabalho e ajudar os colaboradores tem múltiplos benefícios. Não só faz com que sua equipe seja mais saudável como você mesmo. Permite que o nível de absenteísmo por doenças caia. Faz com que as pessoas trabalhem motivadas e como entusiasmo.

Seja um verdadeiro fabricante de células brancas em sua equipe!


Alberto Roitman é uma alma livre. Autor dos livros: Você é o que você entrega! e A Última Chance! É escritor, consultor, e pesquisa sobre temas comportamentais no ambiente de trabalho.